Teatro e Marionetas de Mandrágora - [Oficial PT]
Bzzzoira Moira


companhia » nossa formação ano 3 PAP

PLETORA - modus vivendi

M/16 . 50 mns
2002

este espetáculo foi realizado durante o 3º ano de formação dos elementos da companhia Teatro e Marionetas de Mandrágora

sinopse

O espetáculo narra o movimento circular evolutivo, a própria alternação vida-morte, criando quatro não-realidades teatrais, dispostas numa linha sincrónica, da qual serão apenas apresentados fragmentos, equacionados com a própria realidade.
Pletora significa qualquer superabundância que produza efeito nocivo. Que exemplo melhor que a esquizofrenia como um excesso?, um excesso de vida. Porém, se existe excesso de vida em certos casos, também possuímos exemplos de excessiva aniquilação dessa mesma vida – as “Grandes Guerras”. Pegando, então, nos conceitos esquizofrenia/”Grandes Guerras”, encontramo-nos indiretamente a tratar outros dois com os quais se encontram profundamente relacionados – criação de vida/supressão da mesma.
Sendo a morte o culminar da vida, e essa mesma morte, ainda mesmo que em pequena escala (mesmo a nível celular), necessária para uma vida, está criado deste modo um movimento circular evolutivo. Abordaremos o cíclico e o circular, o poder do centro, o Uno, partindo das culturas europeias ditas pagãs, aplicando esses sistemas como catalisador positivo.
A esquizofrenia, quando consciente, é um cadinho para a concretização de várias “realidades paralelas” (ás quais chamaremos de não-realidades). Criaremos quatro não-realidades que serão dispostas numa linha narrativa sincrónica (as não-realidades serão derivações da realidade e essa linha narrativa será mostrada alternando fragmentos de uma e outra não-realidade e da realidade, de uma forma algo cinematográfica), sendo no total cinco: Realidade, Cinema, Bruegel, Literatura e Conflito.
O denominador comum das quatro não-realidades e da realidade é a narração, coincidente e a mesma nas cinco linhas das quais veremos apenas fragmentos aleatórios. É a narração dos grandes ciclos do Ser. Estar e Haver é a nossa narração, a da pessoa que fragmentada esquizofrenicamente nestes planos se reúne atendendo á sua origem.
O desenvolvimento da ação decorrerá passando pelas seguintes fases: Morte, Fecundação, Nascimento, Gestação, Dissecação, Gestação, Guerra, Morte.
...